Mercado brasileiro arrecada R$ 157 milhões em 2012

Ver PDF | Ver Impressão
por: revistaapolice Total leituras: 150 Nº de Palavras: 677 Data: Wed, 13 Feb 2013 Hora: 2:37 PM 0 comentários

A soma dos segmentos de seguros, previdência e capitalização atingiu, em 2012, resultou em um montante de R$ R$ 157 bilhões, crescendo 21% sobre o ano anterior. Descontando a inflação pelo IGPM, o crescimento real em 2012 foi de 15%. Os dados foram agrupados pela Siscorp Serviços Corporativos e divulgados no nesta quinta-feira, 7 de fevereiro.

O lucro líquido consolidado das companhias somou R$ 12,1 bilhões – crescimento de 4% sobre 2011. O volume das indenizações, benefícios e resgates destes segmentos foi de R$ R$ 43 bilhões, crescendo 16% sobre 2011, contra 14% em 2011 sobre2010. Arelação das indenizações, benefícios e resgates sobre a arrecadação se manteve próxima nos últimos dois anos, sendo de 27% em 2012, contra 28% em 2011.

O segmento de pessoas (que inclui vida, VGBL, PGBL e previdência) arrecadou R$ 92 bilhões e teve o maior crescimento, alcançando 27% sobre 2011 e representando 59% do mercado. Os produtos de capitalização arrecadaram R$ 16,6 bilhões e cresceram 18%. Já os seguros gerais registraram um crescimento um pouco menor, de 13%, e arrecadação de R$ 47,9 bilhões.

“Mais um ano em que o faturamento do mercado de seguros cresce acima dos indicadores econômicos. Tem sido assim nos últimos anos e 2012 foi destaque”, analisa o diretor presidente da Siscorp, Flávio Faggion Júnior.

De acordo com ele, o crescimento expressivo dos produtos para pessoas e capitalização é devido a dois fatores. “De um lado, há o crescimento do poder de compra da população, principalmente nas classes de menor renda, e de outro, a estratégia bancária de aumentar o foco na comercialização de produtos do mercado segurador, como alternativa para minimizar os efeitos das reduções das taxas de juros”, diz.

Carteiras

Os maiores crescimentos foram das carteiras de seguro habitacional (R$ 1,8 bilhão) – crescimento de 27% – e seguro rural (R$ 1,5 bilhão) com 19%. “Esses desempenhos tem forte ligaçãocom a expansãodos créditos concedidos no ano pelos agentes públicos dirigidos para essas atividades”, indica Faggion.

Seguro automóvel permanece como a maior em seguros gerais, respondendo por mais da metade (52%) deste segmento. Apesar de ter arrecadado R$ 24,7 bilhões, cresceu 16%. Contribuíram para a expansão o recorde de vendas de veículos (com mais de 3,8 milhões de emplacamentos, segundo a Fenabrave), a redução dos financiamentos (com mais exigências para concessão do crédito, os consumidores comprometem mais recursos próprios e acabam buscando a proteção do seguro) e, por fim, o realinhamento dos preços dos seguros pelas seguradoras, gerando aumento de valor em alguns modelos.

Outros ramos que tiverem bons resultados estão seguros de residência (com crescimento de 16% e arrecadação de R$1,9 bilhão), transportes (com expansão de 12% e arrecadação de R$2,7 bilhões) e condomínio (16% e arrecadação de R$ 1,9 bilhão0.

Entre os menores crescimentos estãoo DPVAT(a terceira maior carteira do segmento de seguros gerais), com arrecadação de R$ 3,6 bilhões e expansão de 6%, e os seguros patrimoniais das pessoas jurídicas, que cresceram cerca de 5% em 2012 e arrecadaram R$ 8 bilhões. Neste último ramo, o crescimento foi bem abaixo dos 20% registrados em 2011.

Revista Apólice o maior portal de seguros do Brasil

Sobre o Autor

Apólice é uma revista dirigida a todos os segmentos do mercado de seguros: corretores, seguradores, resseguradores, técnicos de seguros, entidades do setor, gerentes de risco e empresas interessadas no segmento de seguro do País.




Pontuação: Não pontuado ainda


Comments

No comments posted.

Add Comment