Como atuam e o que são os reagentes para laboratório

Ver PDF | Ver Impressão
por: Andreita Total leituras: 92 Nº de Palavras: 3550 Data: Tue, 12 Nov 2013 Hora: 1:52 PM 0 comentários

Há vários tipos de reagentes, e, por exemplo, alguns aglutinadores, anticoagulantes, enzimas, eletrólitos, hematólogos, bioquímicos, calibradores e controladores, imunoquímicos, reagentes para finalidades veterinárias, entre outros.

Estes reagentes são unidos a um sistema para observar a ocorrência de uma determinada reação ou a fim de que uma reação possa acontecer. Quando falamos sobre química, em geral, os reagentes são formados de dois ou mais insumos, sendo formados, assim, de moléculas de natureza orgânica ou inorgânica. Como, por exemplo, podemos falar sobre o reagente específico Grignard, o reagente de Fenton e o reagente específico Collins. Também existem os conhecidos como reagentes analíticos, como ácidos, hidróxidos, solventes, corantes, indicadores, soluções e outros, sempre verificados segundo as normas Synth e A.C.S., utilizados para corroborar a existência de outra substância, como a de Tollen ou a de Millon, na reação.

Como são utilizados para identificar as substâncias químicas de excelente pureza em reações com químicos e análises químicas existem padrões de pureza a se seguirem. Determinados padrões são determinados por associações internacionais, as quais oferecem um documento registrado desses produtos aos fabricantes, depois de observarem uma série de análises específicas. Os reagentes são analisados desde sua reação, e até quanto suas impurezas, constatando a presença de certas bactérias, íons livres e sílica.

Os Kit de reagentes voltados para laboratório mostram nas etiquetas de seus frascos específicos, a denominação dos produtos e as precauções contra irregularidades. É muito importante fazer uma verificação do a especificação mostra, verificando com atenção à especificação, a fórmula química, as fórmulas químicas do reagente, a fábrica desenvolvedora e o endereço de quem fabrica, o modo de utilização e cada uma das informações observando como lidar com o produto e colocar em estoque. Tais informações estarão presentes com a função de precaver aquele que fará uso do insumo, passando detalhes a respeito de que maneira agir para que o componente seja manipulado de forma certa.

 Frequentemente, os reagentes podem ser catalogados de acordo com seu marca de periculosidade, e esse nível poderia ter variações. Há desde reagentes com ausência de perigo, até reagentes muito arriscados. Estando ciente de tal informação, todo o cuidado deve ser verificado ao mexer com eles. Quanto mais extenso o número de informações a respeito do produto que será usado, mais correto será o modo de manipular. O experimentador deverá sempre pensar que mesmo que o insumo seja determinado como um reagente de baixo risco, isso não implica em ausência de perigo.

 Assim como há essa designação de um risco quando se fala sobre os reagentes laboratoriais, é importante lembrar que fazer a observação de todas as especificações que fala sobre a temperatura para estoque e muitas informações que dizem respeito aos produtos, são de extrema importância. Qualquer erro neste processo pode ocasionar graves acidentes.

Sobre o Autor

Para mais informações, visite: Wako Latin America




Pontuação: Não pontuado ainda


Comments

No comments posted.

Add Comment