Teste ELISA e sua aplicabilidade

Ver PDF | Ver Impressão
por: Andreita Total leituras: 175 Nº de Palavras: 3721 Data: Tue, 12 Nov 2013 Hora: 1:42 PM 0 comentários

É utilizado para identificar variadas condições que induzem a produção de anticorpos.

O complexo que contém o anticorpo é visto pela junção da enzima ao anticorpo. A enzima mais usada neste processo é a peroxidase, que tem a responsabilidade por fazer a catalisação da reação de modo de desdobramento da água oxigenada (H2O2) em H2O e O2. Ao juntar substrato ao complexo enzima-anticorpo-antígeno, será alcançado um produto colorizado.

 Os procedimentos em uso para esse tipo de teste tem relação à ação entre o antígeno e o anticorpo. O método mais comum e é denominado como ELISA indireto, ele consiste em unir o antígeno a um apoio sólido, denominado placa ELISA, onde o antígeno passará por uma preparação e em seguida posto na parte superior dos soros que serão utilizados nesse tipo de teste, na busca de anticorpos que ajam contrário ao antígeno. Caso haja anticorpos determinados para o antígeno no soro, ocorrerá a formação de uma ligação entre o antígeno e o anticorpo. Ao acrescentar um substrato apropriado para a enzima que se forma, aonde aconteceu a reação, adquirirão uma cor adequada, que varia muda de acordo com o substrato em questão.

 Outro tipo de método chamado ELISA de bloqueio, ou de competição, indica o processo onde a presença de anticorpos em cero soro é observada pela competição com um anticorpo determinado, relacionado ao antígeno. O resultado final é indicado pela junção de um conjugado, no entanto a cor aparecerá nos orifícios em que antes não havia anticorpos.

O testes ELISA é responsável pela determinação de várias moléstias infecciosas, considerando que os agentes que causam doenças levam a produção de anticorpos. Pode igualmente ser utilizado o teste para determinar doenças autoimunes ou alergias.

O teste ELISA também pode ser usado para a detecção do vírus da AIDS. É usado a metodologia de eleição. Estes testes clínicos até a sua terceira geração demoravam quatro semanas, após o contato, para determinar o vírus. Todavia, os testes que são da quarta geração fazem a detecção de todos os anticorpos e também dos antígenos causadores do HIV, diminuindo o período com a finalidade de que moléstia seja detectada, para 15 dias.

 Com seus pontos positivos o ensaio ELISA possui grande sensibilidade e pode determinar quantidades pequenas de antígenos, tendo um risco bem menor do que um diagnóstico errado. Fora isso, é um ensaio altamente específico, deixa que várias amostras encarem testes no mesmo momento e é feito de forma bastante rápida, de baixo custo, comparando certas técnicas de imunodiagnóstico.

 Dentre os pontos negativos deve-se citar a precisão de uma cooperação específica para se fazer o teste, nem todos os profissionais podem realizar. Vários reagentes podem se estragar facilmente, ao tomarem a luz do sol ou altas temperaturas. Fora isso, por ser uma técnica específica com muita sensibilidade, um erro de pipetagem, no tempo de incubação e alteração nos reagentes pode ocasionar um diagnóstico falso.

 

Sobre o Autor

Para mais informações, visite: www.wakobrasil.com




Pontuação: Não pontuado ainda


Comments

No comments posted.

Add Comment